“A Colônia Leopoldina-Frankental na Bahia Meridional. Uma Colônia europeia de plantadores no Brasil”, por Carlos H. Oberacker Jr.

“Toda a colonização germânica no Brasil é caracterizada pela pequena propriedade e o tamanho da terra pelo proprietário e sua família. Os três Estados sulinos e até o Estado do Espírito Santo muito devem à este sistema, pois foi a base do seu progresso econômico, social e cultural. Nestas colônias o aproveitamento de escravos era severamente proibido. Destas colônias assim distinguidas havia, no entanto, uma exceção, a colônia Leopoldina no extremo Sul da Bahia, a que estava anexa a pequena colônia Frankental. Ambas transformaram-se após os seus proprietários terem tentado um sistema de trabalho e cultura coletivos numa aglomeração de fazendas, isto é em propriedades individuais de plantadores, trabalhadas por escravos africanos”.

OBERACKER JR., Carlos H. A Colônia Leopoldina-Frankental na Bahia Meridional. Uma Colônia européia de plantadores no Brasil. In: Jahrbuch für die Geschichte von Staat, Wirtschaft und Gesellschaft Lateinamerikas, 24. Köln: Böhlau, 1987, p. 455-479.

(PDF) A colonia Leopoldina-Frankental na Bahia Meridional Uma colonia europeia de plantadores no Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s