Curta-metragem “Janela Molhada”, Carlos Enrique Lopes

O curta-metragem “Janela Molhada”, dirigido por Marcos Enrique Lopes, retrata a história de dois pioneiros italianos do cinema mudo no Brasil, Ugo Falangola e J. Cambieri, que, em 1920, em Pernambuco, fundaram a primeira produtora de cinema do estado. O filme traz uma entrevista com a filha de Ugo, Adriana Falangola, 92 anos, última remanescente do cinema mudo brasileiro.

“Janela Molhada” conta também com depoimentos de especialistas no assunto como os pesquisadores Carlos Roberto de Souza e Luciana Corrêa de Araújo, do laboratorista Carlos Eduardo de Freitas e da colorista Luíza Malzoni, que levantam a questão da preservação e restauração de acervos através do método “janela molhada”, abordam os ciclos regionais de cinema e apresentam uma coleção de fragmentos de filmes mudos.

O título “Janela Molhada” é uma analogia a recuperação de películas em nitrato, processo de restauração e preservação de filmes do período silencioso, um processo que reduz os riscos de transferência de nitrato.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s