Documentário “Territórios estrangeiros no Brasil” (TV Brasil)

Caminhos da Reportagem visita cidades brasileiras colonizadas por Ilha dos Açores, Alemanha, Ucrânia, Japão e Líbano… O Caminhos da Reportagem desta semana passeia pelo mundo sem sair do Brasil. O programa percorre cinco cidades em dois estados brasileiros e conhece povos presentes aqui há décadas e, em alguns casos, há mais de um século. Porém, todos mantêm sua tradição, cultura, culinária e hábitos: pequenos territórios estrangeiros no Brasil.

Os açorianos, que chegaram a Florianópolis no século XVIII, preservam até hoje a arquitetura, os engenhos de farinha, a renda de bilro, as danças e cantorias.

Os suábios são um povo cuja origem remonta a uma região que hoje pertence à Alemanha. Depois de décadas de trabalho na região de Entre Rios, no Paraná, construíram uma economia sólida e priorizam a educação.

Os ucranianos também se estabeleceram no Paraná, em Prudentópolis, e são os maiores produtores de um dos ingredientes que não podem faltar na mesa do brasileiro: o feijão.

Um kamikase que sobreviveu à Segunda Guerra Mundial planta uvas em Assaí, cidade onde a presença japonesa está em todos os lugares e rostos.

Esta edição ainda mostra o comércio, a religiosidade e as tradições árabes na fronteira do Brasil com a Argentina e o Paraguai.

Reportagem de Paulo Garritano

O documentário conta com valiosos depoimentos. Entre eles, destaca-se o da Professora Dra. Ismênia de Lima Martins, Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal Fluminense.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.