“As Escolas da Emigración – Un proxecto do Arquivo da Emigración Galega” (Consello da Cultura Galega)

O proxecto

Recuperar o legado educativo da emigración.

As escolas

Como as concibiron os emigrantes.

Crónica do ensino

Como vozes duas que viviron.

As Sociedades instrutivas

Seleção bibliográfica

“Fontes diplomáticas: documentos da imigração italiana no Rio Grande do Sul” (Vania Beatriz Merlotti Heredia e Gianpaolo Romanato)

Os boletins da imigração italiana ora publicados se constituem importante fonte para as investigações desse fenômeno e trazem informações variadas, artigos, notas, dados estatísticos, informações dos locais de destino, relatos, visões de um mundo novo. Está consolidada a ideia de que as fontes diplomáticas acerca da migração se estabelecem como elementos fundamentais para os estudos da imigração, além de ser uma fonte oficial.

HEREDIA, Vania Beatriz Merlotti, ROMANATO, Gianpaolo (orgs.). Fontes diplomáticas: documentos da imigração italiana no Rio Grande do Sul. Caxias do Sul, RS: EDUCS, 2016.

A publicação foi dividida em quatro tomos:

Tomo I

Tomo II

Tomo III

Tomo IV

“Naturalização” (por José Tavares Bastos, 1925)

AO LEITOR

O intuito que tivemos, ao confeccionar o presente livro, foi reunir tudo que se acha esparso a respeito da naturalização, e facilitar ao extrangeiro, ao chegar ao nosso paiz, a consulta perfeita e segura sobre assumpto tão importante. Não nos limitamos a reproducção exclusiva da actual legislação sobre naturalização ; fomos um pouco além. Desde o primeiro Decreto do Governo Provisório até o ultimo do actual Poder Executivo estudamos com o máximo cuidado. São encontrados do regimen extincto : Lei de 23 de Outubro de 1832; Lei n.o 23, de 18 de Setembro de 1835; Lei n.o 397, de 3 de Setembro de 1846; Lei n.° 518, de 31 de Janeiro de 1850; Lei n.° 601, de 18 de Setembro de 1850; Lei n.° 712, de 16 de Setembro de 1853; Dec. n.° 1257, de 6 de Setembro de 1865; Lei n.° 1950, de 12 de Julho de 1879; Lei n.° 3140, de 30 de Outubro de 1882; Dec. de 14 de Janeiro de 1823; Decs, de 23 de Agosto e 9 de Setembro de 1826; Dec. de 14 de Agosto de 1827; Dec. n.o 1096, de 10 de Setembro de 1860; Dec. n.o 1950, de 12 de Julho de 1871; Aviso n.o 291, de 10 de Outubro de 1832; Aviso n.° 206, de 21 de Abril de 1837; Aviso n.° 75, de 10 de Julho de 1850; Aviso n.o 145, de 28 de Março de 1865; Aviso-circular n.° 291, de 11 de Agosto de 1873 e Circular de 20 de Agosto de 1861. Assim, são encontrados pela ordem, os seguintes Decretos expedidos na primeira phase da Republica:

— Governo Provisório : — Decretos n.° 13-A, de 26 de Novembro de 1889; n.° 58-A, de 14 de Dezembro de 1889; a.o 277-D, de 22 de Março de 1890; n.° 396, de 15 de Maio de 1920; n.° 200-A, de 8 de Fevereiro de 1890; n.° 479, de 13 de Junho de 1890 e n.° 773, de 20 de Setembro de 1890. — Leis, Decretos e Regulamentos posteriores á Constituição : Constituição Federal; Decretos n.° 904, de 12 de Novembro de 1902; n.° 1805, de 12 de Dezembro de 1907; n.° 6948, de 14 de Maio de 1908; 10 de Maio de 1910 e n.° 9193, de 6 de Dezembro de 1911. As annotações são feitas de accôrdo com a interpretação dada pela nossa mais elevada Corte Judiciaria da Republica — o Supremo Tribunal Federal. O leitor encontrará o Aviso do Governo com a relação de todas as leis promulgadas até então, decretos e avisos sobre tão magno assumpto, convenções ultimas, etc. Saberá o extrangeiro quaes os effeitos da naturalização no direito publico, civil, commercial e criminal. Sendo de dificílima acquisição o “Protesto,, dos Governos Extrangeiros contra o Decreto n.° 58-A, de 15 de Dezembro de 1899, damol-o na integra. Por ultimo vem o Formulário. Este é completo e elaborado com extrema clareza. O extrangeiro que queira naturalizar-se com facilidade o manuseará. O trabalho único que terá é copiar os modelos e seguir os conselhos dados. Nelle vêm todas as formulas das petições exigidas para o caso, com as «folhas corridas» da Policia e da Justiça criminal, até a remessa dos documentos, a expedição da carta de naturalização e caducidade do titulo.

Victoria- 1925.

O AUTOR.

Fonte: Biblioteca Digital do STF

“Imigração chinesa”, Joaquim Nabuco, sessões de 1-9-1879 e 3-9-1879

Vou expor à Câmara, ainda que com mais ordem, porém muito rapidamente, quais foram os pontos de vista em que me coloquei para combater a imigração chinesa. Perguntei em primeiro lugar se os chins eram reclamados pela lavoura e provei que não. A lavoura do Norte não os quer, a lavoura do Sul não os pediu. Mas, sendo os chins reclamados pela lavoura, serão eles convenientes? Não, por muitos motivos: etnologicamente, porque vêm criar um conflito de raças e degradar as existentes no país; economicamente, porque não resolvem o problema da falta de braços; moralmente, porque vêm introduzir na nossa sociedade essa lepra de vícios que infesta todas as cidades onde a imigração chinesa se estabelece; politicamente, afinal, porque, em vez de ser a libertação do trabalho, não é senão o prolongamento, como até disse o nobre ministro, do triste nível moral que a caracteriza e a continuação ao mesmo tempo da escravidão. Coloquei a questão nestes termos: é o chim pedido? Não. É reclamado? Não. É conveniente? Não. E, depois de tudo isto, pode o nobre ministro obter o chim? Não. Não pode obter o chim para a lavoura.

Consultar os textos:

NABUCO, Joaquim. Imigração chinesa. In: _____. Textos de Munhoz da Rocha Netto e Gilberto Freyre e seleção de discursos de Gilberto Freyre. 2ª ed. ampl., Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2010, Sessão de 1-9-1879, p. 213-240.

NABUCO, Joaquim. Resposta ao Ministro de Estrangeiros sobre a imigração chinesa. In: _____. Textos de Munhoz da Rocha Netto e Gilberto Freyre e seleção de discursos de Gilberto Freyre. 2ª ed. ampl., Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2010, Sessão de 3-9-1879, p. 241-249.

“Archives of Father Krikor Guerguerian Opened for Access” (Istanbull – BIA NEWS DESK)


The documents Father Krikor Guerguerian collected for 50 years on the Armenian Exodus have been classified and opened for online access.


Armenian Father Krikor Guergerian’s archives have been classified and opened for access in a project headed by Prof. Taner Akçam at the Clark University in the US.
Guergerian, a survivor of the Armenian Genocide himself, collected documents regarding the exodus from 1930s until 1988, when he died. According to the project team, the documents have not been examined to this day because they were not classified.
Guergerian was born in 1911 in Sivas in the Ottoman Empire and lived in Beirut, Rome, Jerusalem and New York. Focusing on the Armenian Exodus, Guerguerian researched archives of numerous countries and collected documents.

https://bianet.org/5/116/204663-archives-of-father-krikor-guerguerian-opened-for-access

“AMAN, LEHS-UFRN e British Library disponibilizam livros de registros [paroquiais] online para consulta” (por Arquivo Metropolitano da Arquidiocese de Natal, RN)


Agora está disponível para qualquer pessoa ao redor do mundo consultar no conforto do seu lar, cinco coleções de livros de registros paroquiais da Arquidiocese de Natal. Em 2012 o Arquivo Metropolitano da Arquidiocese de Natal(AMAN) firmou convenio com o Laboratório de Experimentação em História Social (LEHS) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte para concorrer ao edital da British Library da Inglaterra para financiamento de projetos de difusão e preservação do conhecimento.O edital era voltado especialmente para livros e periódicos em risco de desaparecer.   O projeto elaborado pelo AMAM e LEHS foi o grande vencedor do edital,recebendo 7500 libras para financiar a  recuperação organização, digitalização e disponibilização das coleções dos livros de registros paroquias. Após um ano de trabalho das equipes envolvidas o material digitalizado foi enviado para a British Library que recentemente disponibilizou o material em seu site (https://eap.bl.uk/project/EAP505) para consulta gratuita. 
O AMAN ainda está em busca de novas parcerias e financiamentos para digitalizar e difundir os demais livros de registro. 
As coleções disponíveis são:
EAP505 / 1 Arquidiocese Católica Romana de Natal (Arquidiocese de Natal). Coleção de Registros de Nascimento, Morte e Casamento da Catedral;
EAP505 / 2 Arquidiocese Católica Romana de Natal (Arquidiocese de Natal). Coleção de Registros de Nascimento, Morte e Casamento de Angicos;
EAP505 / 3 Arquidiocese de Natal (Arquidiocese de Natal). Coleção de registros de nascimento e casamento de Canguaretama;
EAP505 / 4 Arquidiocese Católica Romana de Natal (Arquidiocese de Natal). Coleção de Registros de Nascimento e Morte de Goianinha;
EAP505 / 5 Arquidiocese Católica Romana de Natal (Arquidiocese de Natal). Coleção de registos de nascimento e morte de Santana do Matos.

Link para consulta dos registros paroquiais:

https://eap.bl.uk/project/EAP505/search

“Consulte o Registro de Estrangeiros”, 1939-1943 (Circolo Italiano di São João da Boa Vista, SP)

O Circolo Italiano di São João da Boa Vista, formado por um grupo de ítalo-brasileiros que divulgam a cultura da Itália, terminou de digitalizar os livros do Registro de Estrangeiros em fevereiro de 2017, após um ano de intenso trabalho. Os documentos originais estão sob custódia do Arquivo Municipal Matildes Salomão, localizado no Centro Cultural Pagu, e têm os depoimentos de imigrantes que estavam na cidade entre os anos de 1939 e 1943. (…)

As raridades foram recuperadas, em meados de 1997, pelo professor João Batista Scannapieco, um dos fundadores do Arquivo Histórico. Além da coleção, existe ainda um índice, que aponta para a existência de 15 volumes com depoimentos. Apenas sete foram localizados pelo historiador e tombados no patrimônio municipal.

Instituído por Getúlio Vargas, o Registro de Estrangeiros era um serviço especial da Polícia Civil. Investigadores e delegados foram incumbidos de ouvir todos os imigrantes que estavam no país na época da Segunda Guerra Mundial. Em seus depoimentos, homens e mulheres eram obrigados a falar sobre sua origem, mencionar datas de nascimento e de chegada ao Brasil, dizer o nome da embarcação na qual vieram e em qual porto chegaram. Somente após o depoimento é que os imigrantes poderiam requerer a Cédula de Identidade Modelo 19, identificação especial para quem vinha do exterior. Além das informações pessoais, os estrangeiros mencionavam dados familiares, como o nome e a idade dos filhos, o que hoje auxilia no resgate das árvores genealógicas de mais de 600 famílias da região. Ao todo, o Circolo digitalizou 1066 páginas, não só dos depoimentos de italianos, mas também de portugueses, espanhóis, libaneses, sírios, japoneses, turcos, argentinos e alemães. Entre outras utilidades, as cópias podem facilitar o caminho de quem ingressa com processos de reconhecimento de dupla cidadania.

Para consultar os livros, acesse o link:

http://www.saojoao.sp.gov.br/home/pdf/circoloitaliano.pdf

Projeto “Baú de Memórias”

O projeto “Baú de Memórias”, criado pela Divisão de Cultura e Turismo da Prefeitura Municipal de Pederneiras, interior de São Paulo, disponibiliza biografias de imigrantes de diversas nacionalidades que chegaram à cidade a partir do século XIX. Este rico trabalho biográfico foi resultado das pesquisas realizadas por Rinaldo Toufik Razuk.

ÁRABES

http://baudememorias.pederneiras.sp.gov.br/index.php/imigrantes/arabes

ESPANHÓIS

http://baudememorias.pederneiras.sp.gov.br/index.php/imigrantes/espanhois

ITALIANOS

http://baudememorias.pederneiras.sp.gov.br/index.php/imigrantes/italianos

JAPONESES

http://baudememorias.pederneiras.sp.gov.br/index.php/imigrantes/japoneses

LETOS

http://baudememorias.pederneiras.sp.gov.br/index.php/imigrantes/letos

PORTUGUESES

http://baudememorias.pederneiras.sp.gov.br/index.php/imigrantes/portugueses