“Descendants of Jews who fled Nazis unite to fight for German citizenship” (The Guardian)

A group of more than 100 descendants of Jewish refugees who fled the Nazi regime are challenging the German government’s rejection of their applications to restore their citizenship.

Anyone who was deprived of their German citizenship during the 12 years of Nazi dictatorship on political, racial or religious grounds – as well as their descendants – is potentially eligible for its restoration, according to a clause enshrined in the country’s constitution.

But several hundred applicants, some of whom submitted claims from the UK after the EU referendum, have been turned down, most commonly on the basis that applications are only valid if citizenship has been passed through the father.

Barbara Hanley’s grandparents

https://www.theguardian.com/world/2019/jul/10/jews-fled-nazis-descendents-german-citizenship

“Secret use of census info helped send Japanese Americans to internment camps in WWII” (by Lori Aratani/The Washington Post)

The Census Bureau plans to ask people if they are U.S. citizens in the 2020 count of the nation’s population, igniting fears that the information could be used to target those in the country illegally.

The decision has become a lightning rod for controversy. More than a dozen states and at least six cities have sued to block the Trump administration from adding the question to the 2020 Census, alleging that it would depress turnout in states with large populations of immigrants. The decennial survey is key to determining how federal funding is spent nationwide. The Census Bureau plans to ask people if they are U.S. citizens in the 2020 count of the nation’s population, igniting fears that the information could be used to target those in the country illegally. (…)

Information from the 1940 Census was secretly used in one of the worst violations of constitutional rights in U.S. history: the internment of Japanese Americans during World War II.

https://www.washingtonpost.com/news/retropolis/wp/2018/04/03/secret-use-of-census-info-helped-send-japanese-americans-to-internment-camps-in-wwii/?noredirect=on&utm_term=.5b5221ddce8d

“Suíça, Pernambuco e o Brasil, uma longa história” (por Rainier Michael/Folha PE)

Diversos órgãos, entidades e empresas da Suíça têm contribuído com o desenvolvimento econômico e social do Nordeste.

A Sociedade Suíça de Beneficência de Pernambuco, fundada em 1875 pelos primeiros imigrantes que vieram ao nosso estado, tem sido atuante em atividades diversas, tais como a celebração do Dia Nacional da Suíça, em 1º de agosto, e assistência aos cidadãos suíços em eventuais situações que não são de alçada do Governo Suíço.  Diversos órgãos, entidades e empresas da Suíça têm contribuído com o desenvolvimento econômico e social do Nordeste.

https://www.folhape.com.br/economia/economia/diplomacia-economica/2018/03/30/NWS,63583,10,814,ECONOMIA,2373-SUICA-PERNAMBUCO-BRASIL-UMA-LONGA-HISTORIA.aspx

“Por que brasileiros estão tentando comprovar vínculo com judeus sefarditas” (por Marília Mara Sciulo/Galileu)

Leis na Espanha e em Portugal concedem cidadania a descendentes da comunidade.

https://revistagalileu.globo.com/Sociedade/noticia/2019/07/por-que-brasileiros-estao-tentando-comprovar-vinculo-com-judeus-sefarditas.html?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=post&fbclid=IwAR3cdsEQt25X6xCT5dggsoyiFjmXP20s3MadXdU6SZxF42JDTQ0NlZlG6gQ

“Santos, a cidade mais portuguesa do Brasil” (por Marco Santana – Da Redação – Jornal da Orla)

Não são apenas os vistosos azulejos de prédios históricos no centro que evidenciam a presença portuguesa em Santos. Está em praticamente cada esquina: em padarias, mercados, clubes, hospitais, escolas e faculdades, residências, no jeito de falar e interagir com as pessoas. Não só pela quantidade de nascidos e descendentes, mas pela qualidade da ocupação, Santos é considerada a cidade mais portuguesa do Brasil.

http://www.jornaldaorla.com.br/noticias/38717-santos-a-cidade-mais-portuguesa-do-brasil/?fbclid=IwAR0G52ciG2tSyZZeNFeIPlUz2ftSOAdr2yDrhgHQRFwO7SdKoELaKp1siLQ

“Por que judeus estão voltando a Portugal séculos após antepassados serem expulsos e massacrados” (por Naomi Grimley, BBC-NEWS-Brasil)

Muitos brasileiros já conhecem o direito à cidadania portuguesa por meio da comprovação sefardita. Os judeus sefarditas viveram na Península Ibérica, foram perseguidos pelo Estado e pela Inquisição e se espalharam por diversos países, inclusive o Brasil. Essa reportagem mostra como descendentes dessa mesma comunidade, só que em outros países, como o Reino Unido, começam a olhar agora para as possibilidades de ter também a nacionalidade portuguesa. As razões são variadas – a saída do Reino Unido da União Europeia é uma delas.

https://www.bbc.com/portuguese/geral-48440404?ocid=socialflow_twitter

“As comunidades árabes no Brasil: imigrantes, descendentes e a luta pela integração” (por Rodrigo Ayupe, Revista Diáspora)


Apesar da dificuldade em estimar o número preciso de imigrantes árabes e seus descendentes no Brasil, haja vista que o censo brasileiro não permite o registro de identidades étnicas, estudos acadêmicos e não acadêmicos apontam para uma presença significativa de famílias e comunidades árabes, incluindo uma série de instituições, tais como hospitais, clubes, igrejas, mesquitas, restaurantes, lojas, empresas e indústrias.


Diante disso, em comemoração ao Dia Nacional da Comunidade Árabe, celebrado em 25 de março, esse pequeno texto se dedica a apresentar o histórico da imigração árabe no Brasil, expondo as suas causas, de acordo com cada fase, e destacando o processo de formação das comunidades árabes e suas instituições, além de discutir o seu lugar na sociedade brasileira.

http://www.revistadiaspora.org/2019/03/25/as-comunidades-arabes-no-brasil-imigrantes-descendentes-e-a-luta-pela-integracao/

“Historiador italiano sentencia: o pioneirismo está com São João Batista-SC. Mas Santa Teresa-ES tem a primazia da grande imigração” (por Desidero Peron – INSIEME)

O historiador e sociólogo italiano Renzo Maria Grosselli, autor de ‘Vincere o morire’, procurou esquivar-se salomonicamente do confronto que envolve as comunidades italianas de Santa Catarina e do Espírito Santo na questão pela primazia histórica da chegada dos imigrantes italianos em solo brasileiro, surgida com a sanção, pelo presidente Michel Temer, da lei número 13.617/2018, que confere ao município de Santa Teresa-ES o título de ‘pioneiro da imigração italiana no Brasil’.

“Grosselli e a primazia histórica da imigração italiana no Brasil”

https://www.insieme.com.br/pb/historiador-italiano-sentencia-o-pioneirismo-esta-com-sao-joao-batista-sc-mas-santa-teresa-es-tem-a-primazia-da-grande-imigracao/