Divulgação

Caros seguidores, leitores e amigos,

É com satisfação que divulgo duas consultorias que criei recentemente. Uma delas é a Consultoria em História da Família, que tem como objetivo investigar, recuperar, conhecer e registrar a história da família em seus aspectos social, cultural, político, religioso e econômico, para preservar a memória da família. A outra é a Consultoria em Pesquisa Histórica, que oferece serviços de pesquisa histórica para professores, pesquisadores, jornalistas, escritores, famílias, escritórios de advocacia, cineastas, editores e particulares.

Visitem as páginas!

https://imigracaohistorica.com/consultoria-em-historia-da-familia-2/

https://imigracaohistorica.com/consultoria-em-pesquisa-historica/

Sugestão de leitura: “Os capixabas holandeses: uma história holandesa no Brasil”

Nós conhecemos a nossa história através das que nos foram contadas à luz de velas ou lamparinas pelos mais idosos. Eles nos falavam sobre a Holanda, sobre a longa viagem que fizeram e sobre os primeiros anos no meio da mata, conta Abrão Laurett, na pequena cidade de Santa Leopoldina. A partir de 1858 até 1862 mais de 700 holandeses emigraram para o Brasil. Tiveram a coragem de deixar a terra natal na província Zeelande assinaram um contrato com a promessa de que receberiam terras, haveria trabalho suficiente para todos e boas possibilidades para o futuro de seus filhos. A realidade era bem diferente. A maioria foi parar no estado do Espírito Santo, entre morros íngremes cobertos com mata virgem, com plantas e animais desconhecidos. Debaixo de um sol escaldante para o qual a pele branca dos emigrantes não estava preparada, tiveram que construir uma nova existência. Uma tarefa gigantesca para pessoas que vinham dos Países Baixos, dos poderes (terras que foram drenadas e ficam protegidas por diques) muito planos, onde o horizonte é infinito, o ar e as nuvens que pairam sobre as pastagens são impressionantes e o espaço é enorme. Eram pequenos grupos que, assim como várias outras famílias europeias, embarcaram em navios em Antuérpia e emigraram para o Brasil. Essa se tornou uma emigração esquecida e eles, um povo esquecido.
Smoor, Boone, Louwers, Krijger, Heule, Theunisse, la Gasse, Schijve, Valkenier, são apenas alguns nomes de ‘holandeses, descendentes dos imigrantes de Zeeland’ no estado do Espírito Santo. Na colônia Santa Leopoldina os pioneiros de Zeeland construíram a própria comunidade chamada Holanda. Mas também no sul do Espírito Santo e no extremo norte na divisa com a Bahia, no vale do Rio Mucuri eles  começaram uma nova vida.

Ainda restam poucas lamparinas em Holanda. Na maioria das casas hoje se vê a iluminação fria da televisão. As histórias dos pioneiros não são mais contadas e estão ameaçadas de caírem no esquecimento. Os descendentes conhecem muito pouco a própria história, se autodenominam holandeses, mas quase nunca ouviram falar de Zeeland. Com este livro, queremos manter vivos os relatos das famílias de Zeeland no Espírito Santo, porque a história não é feita somente de grandes momentos de governos ou membros do clero, mas principalmente de pessoas que tentam construir sua sociedade. Para não esquecê-los e fazer jus a sua luta por uma nova existência registramos aqui todos os nomes. Muito se perdeu de sua história: artigos antigos, documentos, fotos e anotações foram levados para os túmulos ou destruídos por insetos. As histórias que ainda eram contadas em Holanda e nossa experiência no período de 1976 a 1983, quando trabalhamos na comunidade de Holanda, formaram a base para mais pesquisa. Eles vivem em meio a descendentes de pomeranos, alemães, suíços, austríacos e  brasileiros. Não foi fácil encontrar os nomes dos holandeses nos arquivos, uma vez que estes frequentemente eram registrados como alemães ou pomeranos. A história dos holandeses no Espírito Santo ainda não havia sido escrita. Esperamos que, com este livro, possamos colaborar com o relato dessa história e, quem sabe, algum capixaba holandês se anime em aprofundar um pouco mais esta pesquisa”.

ROOS, Ton, ESHUIS, Margje. Os capixabas holandeses: uma história holandesa no Brasil. Coleção Cannaã, vol, 9. Espírito Santo: Arquivo Público do Estado do Espírito Santo, 2008.

(PDF) Os_Capixabas_Holandeses

“Listas de Imigrantes” [alemães], 1851 – 1891/1897 – 1902, Arquivo Histórico de Joinville.

O livro “Listas de Imigrantes” é o resultado do trabalho de tradução das listas de imigrantes alemães constantes do acervo do Arquivo Histórico de Joinville, produzidas originalmente em alemão gótico manuscrito. Trata-se de uma preciosa contribuição tanto para os descendentes quanto para os pesquisadores do tema.

(PDF) Listas-de-imigrantes -1851-a-1891-e-de-1897-a-1902

“O povo cigano no Brasil”, Rádio Senado

“A equipe da Rádio Senado percorreu seis estados brasileiros, além do DF. O documentário retrata a origem dos ciganos e a atual situação dos ciganos brasileiros, incluindo seus costumes e suas expectativas para o futuro.

Documentário vencedor do prêmio Roquette-Pinto, composto por 12 programas com duração de 30 minutos cada.

Produção e reportagem: Celso Cavalcanti, George Cardim, Larissa Bortoni, Maurício de Santi, Pedro Henrique e Rodrigo Resende; Apresentação: Vladimir Espinosa; Locução: Taís Vivaqua, Olívio Calábria, Rogério de La Fuente e Rodrigo Resende; Programação musical: Pedro Henrique, Deraldo Goulart, Alcebíades Muniz; Trabalhos técnicos: André Menezes, Pedro Henrique, Josevaldo Sousa e Pedro Mundim”.

1. “A origem dos filhos do sol: os ciganos no mundo”

http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/200917/1aorigemdosfilhosdosol.MP3?sequence=2

2. “Brasil, terra de fulanos, beltranos e ciganos”

http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/200917/2brasilterradefulanos.MP3?sequence=5

3. “A cultura e o seu povo”

http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/200917/3aculturaeoseupovo.MP3?sequence=9

4. “Os nômades do Sul: vida cigana em Santa Catarina”

http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/200917/4osnomadesdosul.MP3?sequence=6

5. “Os ciganos em São Paulo: as linhas do futuro e a herança do passado”

http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/200917/5osciganosemsaopaulo.MP3?sequence=7

6. “Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo dos ciganos”

http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/200917/6emnomedopaidofilho.MP3?sequence=10

7. “Os ciganos na terra do descobrimento”

http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/200917/7osciganosnaterradodescobrimento.MP3?sequence=11

8. “A terra prometida: os ciganos de Sousa”

http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/200917/8aterraprometida.MP3?sequence=1

9. “Na terra dos romeiros: a comunidade calon em Trindade de Goiás”

http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/200917/9naterradosromeiros4.MP3?sequence=8

10. “Ordem e progresso: políticas públicas para os ciganos”

http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/200917/10ordemeprogresso3.MP3?sequence=4

11. “Os ciganos no Senado Federal: uma tribuna contra o preconceito”

http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/200917/11osciganosnosenadofederal2.MP3?sequence=3

12. “Os filhos deste solo: um retrato das comunidades ciganas brasileiras [programa resumo da série]”

http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/200917/12osfilhosdestesolo1.MP3?sequence=12

Biblioteca Digital do Senado Federal

http://www2.senado.leg.br/bdsf/handle/id/200917

Documentário: “Um passaporte Húngaro”, 2001, (por Sandra Kogut)

É possível uma brasileira, neta de húngaros, radicada na França, obter o passaporte húngaro?

Este documentário aborda a trajetória percorrida por Sandra Kogut, cineasta e videoartista, para recuperar a nacionalidade húngara. Ela faz um belíssimo resgate da história da sua família, entrevistando parentes e, principalmente, a sua avó, que narra, com minúcias, a experiência migratória que viveu nos anos em que a perseguição aos judeus se espalhou pela Europa. Além disso, vai aos consulados da Hungria em Paris e no Rio de Janeiro e faz pesquisas no Arquivo Nacional. Kogut articula experiências pessoais com a história e memória.

Revista de História da Biblioteca Nacional. Dossiês imigrações: alemã, italiana, judaica, árabe e cigana.

Edição nº 102 – março de 2014

“Nesta edição da Revista de História, a imigração alemã a partir do século XIX: perfil dos imigrantes, motivação e critérios dos destinos escolhidos”.

“Alemães para toda obra” – Rodrigo Trespach

https://web.archive.org/web/20160416050109/http://rhbn.com.br/secao/capa/alemaes-para-toda-obra

“À procura de um fantasma” – Frederik Schulze

https://web.archive.org/web/20160418235620/http://rhbn.com.br/secao/capa/a-procura-de-um-fantasma

“As Alemanhas encantadas” – Glen Goodman

https://web.archive.org/web/20160415161212/http://rhbn.com.br/secao/capa/as-alemanhas-encantadas

“A língua de Goethe na política” – Igor Gak

https://web.archive.org/web/20160416045656/http://rhbn.com.br/secao/capa/a-lingua-de-goethe-na-politica

“Ousadia e transgressão” – Michelle Trugilho Assumpção”

https://web.archive.org/web/20160416035235/http://rhbn.com.br/secao/capa/ousadia-e-transgressao

Edição nº 72, setembro de 2011

“Caminhos que se cruzam”

“Imigração tridifícil” – Luiza Horn Iotti

https://web.archive.org/web/20160419000449/http://rhbn.com.br/secao/capa/imigracao-tridificil

“Buona gente capixaba” – Aurélia H. Castiglioni

https://web.archive.org/web/20160419000245/http://rhbn.com.br/secao/capa/buona-gente-capixaba

“A essência do gesto” – Rubens Ricupero

https://web.archive.org/web/20160415205251/http://rhbn.com.br/secao/capa/a-quintessencia-do-bras

“Avanti, São Paulo!” – Luigi Biondi

https://web.archive.org/web/20160416050709/http://rhbn.com.br/secao/capa/mao-na-massa

“Colcha de retalhos” – Antonio de Ruggiero

https://web.archive.org/web/20160416045903/http://rhbn.com.br/secao/capa/colcha-de-retalhos

“Bem-vinda baderna” – Pedro Paulo Malta

https://web.archive.org/web/20160416050540/http://rhbn.com.br/secao/capa/bem-vinda-baderna

“Amazônia nostra” – Marília Ferreira Emmi

https://web.archive.org/web/20160416050626/http://rhbn.com.br/secao/capa/amazonia-nostra

Edição nº 58 – julho de 2010

“Desde o início” – Ângelo Adriano Faria Assis

https://web.archive.org/web/20160418234223/http://rhbn.com.br/secao/capa/desde-o-inicio

“Colonizadores da América” – Leonardo Dantas Silva

https://web.archive.org/web/20160415140354/http://rhbn.com.br/secao/capa/colonizadores-da-america

“Liberdade com restrições” – Keila Grimberg

https://web.archive.org/web/20160418233534/http://rhbn.com.br/secao/capa/liberdade-com-restricoes

“Seleção questionável” – Fábio Koifman

https://web.archive.org/web/20160418233534/http://rhbn.com.br/secao/capa/liberdade-com-restricoes

Edição 46 – julho de 2009

“Sentindo-se em casa” – Oswaldo Truzzi

https://web.archive.org/web/20160413085549/http://rhbn.com.br/secao/capa/sentindo-se-em-casa

“Fazemos qualquer negócio” – John Tofik Karam

https://web.archive.org/web/20160413125546/http://rhbn.com.br/secao/capa/fazemos-qualquer-negocio

“Árabes com Cristo” – Paulo Gabriel Hilu da Rocha Pinto

https://web.archive.org/web/20161220113120/http://rhbn.com.br/secao/capa/arabes-com-cristo

“Da alface ao cafezinho” – Paulo Daniel Farah

https://web.archive.org/web/20160413120304/http://rhbn.com.br/secao/capa/da-alface-ao-cafezinho

Edição 14 – novembro de 2006

“Fazer o quê?” – Andréa Lisly Gonçalves

https://web.archive.org/web/20160412124027/http://rhbn.com.br/secao/capa/fazer-o-que

“Ladrões de crianças” – Cristina Betioli Ribeiro

https://web.archive.org/web/20160413005349/http://rhbn.com.br/secao/capa/ladroes-de-criancas

“Lundu à cigana?” – Samuel Araújo e Antonio Guerreiro de Faria

https://web.archive.org/web/20160413005349/http://rhbn.com.br/secao/capa/ladroes-de-criancas

“Meirinhos aristocráticos” – Miriam Alves de Souza e Marco Antonio da Silva Mello

https://web.archive.org/web/20160412111124/http://rhbn.com.br/secao/capa/meirinhos-aristocraticos

“Italian Stories: from the Godfather to the Fortunate Pilgrim” (by Michael Curtotti)

“This story is written from Australia: far from Italy. Yet for me these two places will always be connected, for I was born in one and have grown up and lived in the other. It takes some making sense of – this life spread across half a globe. Somehow the neat boxes that society creates – this country here – that country there – find no place in my heart. How can I apportion my left ventricle to one land and my right to another? There is a problem with this tale which parcels out the world in separate lands; for inside my one human body I carry stories from two”.

https://beyondforeignness.org/5619

“German Gardens: el barrio nazi de Nueva York” (por Ricardo Garcia)

“En 1936, un inmigrante alemán llamado Fritz Julius Kuhn, junto con un grupo de simpatizantes nazis, fundó en Long Island, Nueva York, una organización llamada Bund (abreviación de Bundesführer).

Esta organización adquirió varias tierras en la cercanía del pueblo de Yaphank, con la finalidad de crear campamentos de verano nazis y promover la causa de Hitler y del Partido Nacionalsocialista”.

https://www.cinconoticias.com/german-gardens-el-barrio-nazi-de-nueva-york/

Documentário “Ei-los que partem”

O precioso documentário sobre a emigração portuguesa, dividido em cinco episódios, conta com a participação de influentes pesquisadores portugueses e brasileiros.

Episódio 1 – “Ei-los que partem: primeiros emigrantes”

 

Episódio 2 – “Ei-los que partem: história da emigração portuguesa”

 

Episódio 3 – “Ei-los que partem: história da emigração portuguesa”

 

Episódio 4 – Ei-los que partem: a sangria da pátria”

 

Episódio 5 – “Ei-los que partem: a emigração portuguesa para o Luxemburgo”