“Como estrangeiros ajudaram a contar a história de Casa Forte e das redondezas” (por Marina Suassuna)


Ao longo de sua história, a cidade do Recife conviveu com várias levas de migração e a presença destes imigrantes ajudou a construir a história da nossa cidade e consequentemente dos nossos bairros. Na Zona Norte do Recife, os bairros vizinhos de Casa Forte, Poço da Panela e Apipucos foram bastante marcados pela presença de estrangeiros.

https://poraqui.com/casa-forte/como-estrangeiros-ajudaram-a-contar-a-historia-de-casa-forte-e-suas-redondezas/

Projeto “O obscuro fichário dos artistas mundanos”


O Obscuro Fichário dos Artistas Mundanos é um projeto cultural motivado pela existência de um conjunto de fichas produzido pela Delegacia de Ordem Política e Social de Pernambuco (DOPS/PE) entre os anos de 1934 e 1958, com registros da passagem pelo estado daqueles indivíduos vistos e nomeados como artistas.
Das mais de mil fichas que compunham esse conjunto, apenas 403 foram conservadas e encontram-se, desde 1991, sob a salvaguarda do Arquivo Público Estadual Jordão Emerenciano (APEJE). São indícios da vida de mulheres e homens, brasileiros e estrangeiros, protagonistas de uma movimentação ocorrida na cidade do Recife, no campo da arte e do entretenimento, nas décadas de 1930, 1940 e 1950, que lançam luz sobre uma potente história cultural e política do estado e do país.

O projeto foi idealizado e coordenado pela jornalista e pesquisadora Clarice Hoffmann e contou com a assessoria histórica do Prof. Dr. Durval Muniz de Albuquerque Junior (UFRN e UFPE), além de preciosa equipe. Trata-se de um trabalho coletivo de impressionante fôlego.

Destaco o fichário de estrangeiros:

http://obscurofichario.com.br/fichario/?c=estrangeiro