Documentário “Guerra e saudade: imigração espanhola em São Paulo”

Depois da Guerra Civil Espanhola e da II Guerra Mundial, o Brasil necessitava de trabalhadores com mão de obra qualificada para o desenvolvimento industrial e urbano de São Paulo.

Projeto História Viva 
Direção: Fábio Rodrigues
Roteiro: Cintia Takiguthi
Coordenadora: Lizandra Gasparini
Produção: Kinema Produções Cinematográficas 
Realização: Memorial do Imigrante 
Secretaria de Estado da Cultura e 
Governo do Estado de São Paulo.

Sugestão de leitura: “Santos e imigração na Belle Époque: os espanhóis – cotidiano urbano, práticas associativas e militância política (1880-1922)”

Cánovas, Marília Dalva Klaumann. Santos e imigração na Belle Époque: os espanhóis – cotidiano urbano, práticas associativas e militância política (1880-1922). São Paulo: Edusp, 2017.

Sinopse

Entre o final do século XIX e o início do século XX, uma massa de espanhóis deixou várias regiões de seu país e elegeu como destino o Brasil, fixando-se sobretudo no estado de São Paulo. Tendo previamente estudado o fenômeno migratório espanhol na cidade de São Paulo, em Imigrantes Espanhóis na Pauliceia, Marília Cánovas concentra-se neste livro na Santos da belle époque, com seu cosmopolitismo, efervescência, euforia e modernidade impregnados de paradoxos. Na cidade portuária, o imigrante espanhol se somou como componente essencial a um contexto multiétnico e saturado de tensão social. Sem a visibilidade que têm outros contingentes de imigrantes, sua trajetória é enfim reconstruída nos seus aspectos cotidianos, nos cenários da vida pública e de sociabilidade, nos espaços de lazer, mas também de trabalho e de militância política.

Para mais informações, acesse: http://jornal.usp.br/cultura/livro-detalha-historia-da-imigracao-espanhola-em-santos/

“La Emigración Española – Vida española en el extranjero – Revista Quincenal de Emigración y Colonias”

A Revista “La Emigración Española” traz um riquíssimo conteúdo. Selecionei os exemplares com artigos e notas sobre o Brasil, que abarcam o período entre 1916 e 1920.

(Biblioteca Nacional de España)

La emigración al Brasil: consejos de un Cónsul español

(PDF) La Emigración española. 15-1-1916, n.º 1

De San Pablo (Brasil)

(PDF) La Emigración española. 15-9-1916, n.º 17

De la Argentina al Brasil: éxodo de inmigrantes para el Brasil

El calvario de los españoles en Brasil: crimes policiacos

(PDF) La Emigración española. 15-2-1917, n.º 3

Estatistica de la emigración española en noviembre de 1916

(PDF) La Emigración española. 15-4-1917, n.º 7

Los japoneses en Brasil

(PDF) La Emigración española. 30-6-1917, n.º 12

La clase proletaria en el Brasil

(PDF) La Emigración española. 30-10-1917, n.º 20-1

Federación Española de San Pablo: manifesto dirigido a los españoles residentes en el Brasil

(PDF) La Emigración española. 15-12-1917, n.º 23

Federación Española del Brasil

(PDF) La Emigración española. 15-4-1919, n.º 7

Del Brasil/Del Brasil: Casa de España

(PDF) La Emigración española. 30-6-1919, n.º 12

Federación Española del Brasil

(PDF) La Emigración española. 15-7-1919, n.º 13

Casa de España en San Pablo (Brasil)

(PDF) La Emigración española. 15-1-1920, n.º 1

Casa de España en San Pablo (Brasil)

(PDF) La Emigración española. 30-1-1920, n.º 2

Del Brasil

(PDF) La Emigración española. 15-2-1920, n.º 3

Del Brasil

(PDF) La Emigración española. 15-4-1920, n.º 7

Em 1963, o Setor de Estudos e Pesquisas Sociológicas do Departamento de Imigração e Colonização de São Paulo publicou o trabalho intitulado “O imigrante espanhol em São Paulo”, estudo sociológico sobre os problemas de colocação de mão de obra, adaptação ao trabalho e acomodação social de um grupo de imigrantes espanhóis (Fundação SEADE).

http://produtos.seade.gov.br/produtos/bibliotecadigital/view/singlepage/index.php?pubcod=10012864&parte=1

(PDF) O imigrante espanhol em Sao Paulo

Introdução ao primeiro exemplar do jornal “O Gallego”, Recife, 1849. Epígrafe:”Eu sou o gallego la da botica, sou muito amante de quem m’enrica”.

 Introdução

Eis-me no mundo periodiqueiro lançado contra vontade dos brasileiros, porque na verdade lhes irá dar muito o que fazer, e se espantarão com o meu aparecimento, pois atrevo-me com o maior denodo possível a dizer-lhes verdades, verdades que ao meu parecer são incontestáveis.

A grande injustiça e desumanidade com que são tratados os meus compatriotas, faz-me esquecer que sou galego, e obriga-me a apresentar-me em campo, para, apesar de todos os obstáculos que me oponham os estonteados brasileiros, defendê-los até ver se eles por uma vez se desenganam com semelhante gente tão inóspita, quanto perversa e revolucionária.

De tempos, a esta parte tem aparecido uma imensidade de gazetas por todas as províncias do Brasil guerreando o nosso predomínio, e chamando a atenção do povo brasileiro contra a nossa legítima influência. Estávamos resolvidos a deixar uivar esses cães danados, porém, para que não sejamos tidos por dormentes ou covardes, tomamos a peito defender os nossos patrícios dessas acusações vagas e infundadas que lhes fazem essas gazetas imundas, que se intitulam ‘liberais’.

Já veem os leitores qual é a nobre missão do ‘Gallego’.

Agora cumpre-me a significação deste meu todo inteiramente burlesco, e também para que melhormente me conheçam; ouçam-me:

Nasci em Galiza, chamo-me ‘Marques Moreira Guerra’, tenho até o presente vivido honradamente… (Jornal o “Gallego”, n. 1, Recife, 1849).