“Bibliografia acerca da emigração em língua portuguesa, aculturação e identidade étnica com ligações URL”, 2019, Joaquim Filipe Peres de Castro, Ph.D

Resumo

Esta bibliografia aborda a emigração portuguesa e as migrações mútuas entre Portugal, Brasil e Cabo Verde. Os fenómenos migratórios se relacionam com o fenómeno da aculturação e das relações étnicas e interculturais. A bibliografia abrange a produção literária e, sobretudo, a produção em ciências sociais acerca dos fenómenos mencionados. A presente lista bibliográfica tem como objetivo alargar o âmbito dos possíveis e o conhecimento diverso e divergente acerca da realidade sociocultural.

Palavras-chave: migrações, Portugal, Brasil, Cabo Verde, aculturação, relações étnicas, intercultural, assimilação, fusão, multicultural.

A presente bibliografia tem no título o ano de 2019, isto significa que ela poderá ser corrigida, alterada e atualizada. Os autores das referências e também as pessoas interessadas que pretendam contribuir com novas referências, atualizar e corrigir a atual lista, poderão enviar as mesmas para o seguinte correio eletrónico: ptmigrabibliogra@gmail.com. A presente bibliografia contém cerca de 5200 referências, mas o trabalho permanece em aberto, sendo que poderá caminhar em diferentes direções. Na próxima edição será verosímil colocar também as resenhas e os seus autores, uma vez que elas são também labor científico e porque contribuem para o debate.

Sugestão de leitura: “Migrações, educação e desenvolvimento: convergências e reflexões”, Andrea Helena Petry Rahmeier; et al (Orgs.)

RAHMEIER, Andrea Helena Petry; et al (Orgs.). Migrações, educação e desenvolvimento: convergências e reflexões. Porto Alegre (RS): Editora Fi, 2019 (vol. 1, 2 e 3).

Apresentação

Nos últimos duzentos anos, desde o princípio do século XIX, o mundo tem vivenciado um complexo e efusivo panorama de fluxos migratórios. Impulsionados pelos mais diversos motivos, as migrações representam em si processos de mudança – tanto para os que partem quanto para aqueles que recebem. Os avanços tecnológicos, especialmente nos campos do transporte e da comunicação, cooperaram – e cooperam – para essas manifestações. Em um mundo globalizado – onde as fronteiras, não restritas ao espaço geopolítico territorialmente delimitado, mas que perpassam os aspectos socioculturais grupos humanos –, analisar e refletir sobre o papel migratório nessas rupturas e permanências é um fator essencial para se compreender a realidade histórica e atual em que vivemos. Sabemos que os estudos migratórios tem vivenciado uma importante renovação nas últimas duas décadas, com um leque mais amplo de abordagens, conceitos, teorias, metodologias e relações entre campos de conhecimento. Essa renovação, de grande importância, proporcionam releituras dos processos de migração ocorridos durante os séculos XIX e XX, assim como um entendimento dos enredamentos sociais, políticos, culturais, religiosos e econômicos que permeiam as manifestações deste início do século XXI. Para esta publicação que ora apresentamos, foram escolhidos três campos norteadores principais, que são as migrações, os espaços educativos e o desenvolvimento regional. Este fio condutor interage com múltiplas áreas temáticas, como a religiosidade, o patrimônio cultural, as práticas docentes, as relações com o meio ambiente, as questões de gênero e etnicidade, entre outras. Os capítulos desta obra, agrupados em doze eixos temáticos, subsidiam reflexões importantes, tendo em vista a gama ampliada de interpretações que suscitam, as fontes que utilizam, o trato teórico-metodológico que se aplica, entre diversos outros pontos que poderiam aqui serem citados.

“Los migrantes han cruzado el Mediterráneo durante siglos, pero antes se desplazaban de norte a sur” (por Felicita Tramontana – El País – Paneta Futuro)

“El discurso racista que ha encontrado terreno fértil en Europa se basa en dos suposiciones erróneas: que la migración es un fenómeno nuevo y que este mar ha estado dividido desde la antigüedad”.

“Un mapa del siglo XVI de Europa y África del Norte. Luis Teixeira, Portulano, Lisboa, ca. 1600, via Wikimedia Commons”

https://elpais.com/elpais/2018/07/13/planeta_futuro/1531478096_238117.html

Sugestão de leitura: “História oral e migrações: método, memórias, experiências”

MAGALHÃES, Valéria Barbosa de (Org.). História oral e migrações: método, memórias, experiências. São Paulo: Letra e Voz, 2017.

Sinopse

Esta estimulante coleção de livros, dirigida por Juniele Rabêlo de Almeida, oferece ao leitor perspectivas multifacetadas sobre a relação entre a história oral, os públicos e o tema de seus volumes. Em cada um deles, relatos de importantes pesquisas empíricas dividem espaço com reflexões sobre as questões teóricas e metodológicas concernentes ao uso de entrevistas, desde as estratégias de coleta até os desafios de interpretação. Em conjunto, os livros desta coleção apresentam um panorama daquilo que de melhor vem sendo produzido no campo da história oral no Brasil. Neste volume, História oral e migrações.

Conteúdo

Introdução

PARTE 1: HISTÓRIA ORAL E MIGRAÇÕES: MÉTODO, MEMÓRIA, SILÊNCIO E ESQUECIMENTO

Reminiscências: Vestígios da memória
Maria de Lourdes Monaco Janotti

O sole mio… Piove! A presença de italianos, na capital paulista e a memória-canção
Heloísa de A. Duarte Valente

A ‘mulata brasiliana’: Uma proposta não-prosaica de apresentação de narrativas, histórias de vida e memórias de brasileiras negras casadas com italianos
Maria Carolina Casati Digiampietri

PARTE 2: MIGRANTES E TERRITÓRIOS

“Terra de nordestinos”: História oral e experiências de migrantes em São Miguel Paulista na década de 1950
Paulo Fontes

A imigração italiana ao longo da ferrovia The São Paulo Railway: A Estação de Campo Grande, no Alto da Serra de Paranapiacaba/SP
Arlete Assumpção Monteiro

Marcas, presenças e ecos imigratórios: O bairro do Bom Retiro
Daisy Perelmutter

Descendentes de imigrantes italianos no bairro do Bixiga: Memórias e interações culturais
Célia Regina Pereira de Toledo Lucena

Artigos Revista Mediações, Londrina, 2017

“Habitus imigrante e capital de mobilidade: a teoria de Pierre Bourdieu aplicada aos estudos migratórios“, Márcio de Oliveira e Fernando Kulaitis.

Mediações, Londrina, v. 22, p. 15-47, jan/jun, 2017.

Resumo

O presente artigo apresenta os conceitos de habitus imigrante e capital de mobilidade, derivados da Teoria da Prática proposta por Pierre Bourdieu (1930-2002), como ferramentas para compreender as estratégias de agentes em processos migratórios. Em seguida à revisão e discussão sobre a origem e os fundamentos teóricometodológicos dos conceitos de habitus e capital, aplicamos os conceitos propostos em duas pesquisas recentes: os brasileiros no Québec e os haitianos no Brasil. Através da análise de depoimentos e das estratégias dos migrantes em questão, verificamos em que medida os projetos migratórios são frutos de um sistema de disposições, o habitus imigrante, e como ele se transforma em um conjunto de propriedades específicas, aqui denominado de capital de mobilidade. Em conclusão, estabelecemos que a decisão voluntária de migrar e os processos de integração estão interligados e dependem da força do habitus interiorizado e da quantidade de capital acumulado.

Palavras-chave: Estudos migratórios. Habitus. Capital. Pierre Bourdieu.

(PDF) Oliveira, Márcio de; Kulaitis, Fernando. Habitus Imigrante e Capital de Mobilidade

 

“Confusões semânticas e migrações internacionais”, Pedro Vianna.

Mediações, Londrina, v. 22, p. 48-79, jan/jun, 2007.

Resumo

Por razões diversas, no campo das migrações internacionais, os discursos políticos e mediáticos são pouco rigorosos no que diz respeito ao emprego das palavras. Termos equívocos, palavras trocadas, conceitos não definidos, generalizações abusivas, confusão de termos, esquecimentos, hipérboles, efeitos apresentados como causas, más traduções são figuras que perturbam a clara compreensão dos fenômenos migratórios. A partir do caso da França, o presente texto examina alguns exemplos de tais confusões semânticas, evoca um certo número das causas que as engendram e exorta ao desenvolvimento dos trabalhos acadêmicos sobre o tema.

Palavras-chave: Migrações. Terminologia. Mídia. Discurso político.

(PDF) Vianna, Pedro. Confusões semânticas e migrações internacionais